Foram horas embaixo do chuveiro deixando a água quente escorrer pelo seu corpo. Estava tão quente que chegava a queimar sua pele. E doía, mas a dor que mais a afligia estava por dentro, como um câncer devorando os seus músculos. Mas ela não se importava, talvez uma dor aliviasse a outra.
Enquanto a água caía em sua cabeça tentava não pensar em nada, mas era impossível tirar o que acontecera. Queria não pensar, queria não sentir, não queria estar ali.
Esfregava-se desesperadamente, mas já não tinha mais forças. Sentia-se suja, sentia náuseas. Não sentia mais suas pernas e deixou-se cair ao chão e ficou ali, deitada, esperando que a água a tirasse de si e a levasse embora pelo ralo do banheiro…

Anúncios

  1. #1 por Itarcio Lima em 14 de janeiro de 2012 - 1:10 am

    Trágico, porém quase quotidiano. Uma hora vai embora de vez, ou completa-se em ficar e aguentar, como se não doesse mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: