Arquivo de janeiro \14\UTC 2012

Olhares

Desde quando você se importa?
Desde quando você me quer?
Mas por que me olha assim
com esses olhos de desejo?
Fazendo a loucura
que em mim ‘stava adormecida
ganhar forças
a ponto de dominar-me.
Já não te basta meu sentimento?
Qual o próximo passo
desse seu plano?
Já não te basta meu sofrimento?
Minhas noites já são
por demais angustiadas.
Meu sono pesado, atormentado…
Quando isso vai parar?
Faça-me um favor,
pare de me olhar!

(escrito em 30/12/2005)

Aretha Stephanie

Anúncios

Deixe um comentário

Sem saída

As paredes tem olhos e acusam-me por ter vivido.
O chão se move e quase não posso ficar em pé.
O teto derrete sobre mim.
Sinto-me sufocada, apertada…
Tento gritar, mas são grunhidos que saem da minha boca, grunhidos como de um cão morrendo, como de um cão que sou nesta noite presa neste cemitério de minha alma.
Ouço vozes, ouço passos… mas ninguém fala comigo, ninguém se aproxima…
É como se eu não existisse, como se eu nunca tivesse existido.
Nem uma só lembrança, nenhuma só esperança… Só a vontade de sair daqui, sair de mim…
Mas… onde fica a porta?

(escrita em 28/01/2005)

Aretha Stephanie

Deixe um comentário